23 fevereiro 2007

RAPIDINHAS DA SEMANA

.
ALGUMAS NOTAS RAPIDlNHAS DESTA SEMANA:

- O Carnaval foi com chuva, muita chuva por aqui!! O meu, em particular, foi dentro de casa, mas ao lado de mulheres lindas!! Calma, não houve orgia nem folia na minha casa. Explico: apenas quatro mulheres ao meu lado. My Lady, como sempre me acompanhando, e outras três: Helena, Criseida e Briseida.

- Estas são personagens de beleza incomum, que ganham vida e importância nas páginas da Ilíada, de Homero. Obviamente, o livro narra a guerra de gregos e troianos, mas essas mulheres estão no centro da história. Leitura complexa, é verdade, mas gratificante pelo que mostra de cultura, mitologia, ética e estética. E, sobretudo, pela poesia que contagia.

- Meus agradecimentos ao Cilmar Machado, meu amigo, mestre e ex-chefe nos velhos tempos de Lins. Recebi nesta semana o jornal que ele enviou. Trata-se da edição do Debate, em que Cilmar utilizou seu precioso espaço semanal para publicar uma crônica minha ( Como raptei o governador ). Fiquei honrado com sua gentileza, amigo.

- Um abraço especial para a loira mais bonita do Paraná: Cissa, no brilho e glória dos seus 25 aninhos que completará dentro de poucos dias, concluindo a universidade em Londrina. Obrigado pelo material que você enviou.

- Outro abraço, agora ao Ariovaldo, amigo de adolescência, com quem restabeleci contato depois de uns 30 anos. De S.J. Rio Preto, onde mora hoje, mandou-me cópia de um documento “histórico”: o convite de formatura da nossa turma no velho curso ginasial, nos idos dos anos... (ihh, faz muito tempo, nem vou dizer quando foi, rsss).

- Outro abraço carinhoso ao Odimar Achilles dos Santos, grande amigo e colega desde a adolescência, que também acabo de reencontrar. Hoje, mora em Araraquara e foi, recentemente, nomeado fiscal da natureza e da ordem pública, assim como eu e outros desocupados por recompensa, justiça e merecimento, rss.

- E por falar em fiscal da ordem pública (é uma das manias mais elogiáveis de muitos aposentados), aqui vai um comentário de indignação. O tal golpe do falso seqüestro está se tornando uma ação criminosa por atacado, uma ação em massa, um crime milionário, escancarado e impune. São milhares de pessoas caindo nesse golpe toda semana. Só em São Paulo, de janeiro até agora, foram mais de 3 mil ocorrências registradas. Esse golpe está conseguindo êxito em 20 de cada 100 tentativas!! E mesmo quando o cidadão não cai no golpe porque já foi alertado, assim mesmo tem o transtorno das ligações insistentes e irritantes nos horários mais inoportunos.

- Diante de tudo isso, o que está fazendo o poder público? Alguém viu alguma ação rápida e eficaz contra essa humilhação que o crime impôs à população? Até agora, vi apenas a matéria de capa da revista Veja (última edição). Mas nem todos têm acesso ou lêem a Veja, embora seja a revista de maior circulação no país.

- Bem, se o poder público é lento, míope, enferrujado e tardiamente reativo, vale pensar em algum outro meio que saiba ser proativo, rápido e inteligente. Ocorreu-me a idéia de sugerir a uma grande rede de mídia o lançamento de uma campanha de esclarecimento. Se é o caminho ideal ou não, pouco importa agora. Se se coaduna com os melhores princípios, não sei. Se esta ou aquela rede de comunicação tem a melhor “ideologia”, sei lá. Isso nem interessa muito a essas alturas. Quando a casa está em chamas, toda ajuda articulada e inteligente é bem-vinda, seja da esquerda ou direita, seja de corintianos ou palmeirenses.

- Enviei uma pequena sugestão à Rede Globo. Quem achar que faz sentido, pode reforçar e melhorar a sugestão (podendo basear-se na minuta abaixo) . Para enviar, entre no site da Globo e/ou outras redes. No site da Globo, a seção “fale conosco” está em
http://redeglobo.globo.com/TVG/0,,F0-3914,00.html . Basta escrever sua mensagem, depois de preencher seus dados no formulário que aparecerá na tela.

Amigos da Globo,

Vivemos um momento difícil, em que o crime está humilhando o povo brasileiro e zombando do poder público. Penso que nesse contexto a Rede Globo pode dar mais uma sábia demonstração de cidadania e de sua real utilidade pública.

Refiro-me ao golpe do falso seqüestro (por telefone), que está fazendo centenas ou milhares de vítimas no país todos os dias, além de infernizar a vida de outros que, já alertados, nada podem fazer contra as insistentes e irritantes ligações. Uma das maneiras mais rápidas e eficientes de acabar com essa onda criminosa seria por meio da comunicação massiva, através de campanha. Ninguém melhor do que as grandes redes de TV e rádio, especialmente a Globo, para lançar uma iniciativa pioneira, com vinhetas de utilidade pública ou anúncios curtos de outro formato, alertando o telespectador contra essa ação criminosa milionária, escancarada e impune.
.

Nenhum comentário: