23 setembro 2006

É PRIMAVERA, TE AMO!

.
Enfim, chegou a primavera. Ao saudá-la, é inevitável lembrar de um cara que passou por aqui e cantava assim: ... é primavera, te amo, é primavera, te amo... meu amor... trago essa rosa, para te dar... Hoje o céu está tão lindo, cai chuva...

E a chuva vem chegando, parece até que esse ano veio mais cedo, quem sabe para lavar as nossas mágoas, desilusões, depressões, desamores e até tirar o pó dos pensamentos negativos que se acumularam em nossa mente. Seu barulho é como música aos nossos ouvidos.

Como é lindo passear pela cidade e ver os canteiros floridos, os parques já se fazem verdes, e sabendo que o verde vem trazendo a esperança, a verdade e a cura...

Assim, podemos viver em harmonia com a natureza, trocando essa energia maravilhosa. Até os animais ficam mais harmônicos quando chega a primavera, época de acasalamento, de estar junto com o ser amado, encontrando a energia Yin e Yang, macho e fêmea, homem e mulher, época em que os opostos se atraem para realizarem mais uma viagem rumo ao desconhecido.

Mas que desconhecido é esse? O amor?


Então precisamos mesmo nos conhecer melhor, porque o amor não é algo que se encontra em outra pessoa, não está submetido a leis. Ao contrário, são as leis que se submetem a ele. Não se encontra o amor nas drogas, nas bebidas, mas dentro de nós, em nossos corações.

Se você quer encontrar o amor, é fácil. Dê amor! Ame...


(adaptei do editorial publicado na revista Terceiro Milênio, editada em Brasília-DF - setembro/2006)
.

Nenhum comentário: