02 julho 2010

RAPIDINHAS DA SEMANA

Uma dica aos amantes da pintura: adicionei na seção "recomendo" (coluna à esquerda), link para um dos melhores portais de pintura do mundo. Todos os pintores, de todas as épocas, com várias opções de busca. Vale a pena conhecer.
Na mesma seção, adicionei link para o Blog da Katia Maia, jornalista de Brasília, que retoma suas páginas com novo fôlego e muitos posts interessantes.
Por falar em links, a paraguaia Larissa Riquelme, aclamada musa da copa com méritos escassos e atributos abundantes, está no slide show das belas do blog. Várias fotos dela na galeria, com a opção para ver em tela cheia. É só clicar na janela de slides "belas do blog", no alto da coluna à esquerda. Quando abrir nova página, mova o cursor para ver opção de tela cheia.
Na Copa do Mundo, derrota e decepção geral. O fracasso frente à Holanda tem a cara de Felipe Melo, camisa 5. Ajudou muito em um dos gols do adversário e, não satisfeito, deu-lhe outra grande ajuda ao obrigar o árbitro a dar-lhe um belíssimo cartão vermelho.
Brasil fora, Alemanha seguindo e crescendo. Por isso, cresce também a expectativa em torno da numerologia da Copa. Será que se confirmará o prognóstico baseado no 3964, esse número incrível que, até aqui, tem tudo a ver com a história da Copa do Mundo? Vejam detalhes no post de 30/6, abaixo.
Seleção Brasileira de volta. Chegou de madrugada, como recomenda o manual de cautela & caldo de galinha. Mesmo na fria madrugada, havia torcedores de plantão. Adivinhem quem foi alvo das ofensas? Só podia ser Felipe Melo, né? Mas fica no ar uma pergunta. Antes de embarcar para a África, a seleção foi recebida e badalada em Brasília. E agora, onde está o apoio de governantes e líderes políticos?
É triste, é amargo... Mas sempre tem o lado bom. Neste caso, o lado bom talvez seja a chance de rever, corrigir e crescer. É momento, também, de voltar a fita. Muito há muito para se refletir e aprender. A propósito, reproduzo o que escrevi aqui neste Blog sobre o futebol brasileiro e sobre Felipe Melo, nas Rapidinhas de 11/6/2010:

E a propósito da síndrome do "com-o-Brasil-ninguém-pode", Augusto Nunes não deixa pedra sobre pedra. Segundo ele, nosso problema não é o complexo de vira-lata, mas a síndrome do com-o-Brasil-ninguém-pode, que surge já na idade do berço esplêndido. Leia mais.
Bem, com esses comentários, pensarão que eu não vou torcer pela Seleção Brasileira, assim como o Wilker. Nada disso. Vou torcer sim. De preferência, sem Felipe Melo em campo. Anote aí: se jogar, ele vai fazer m&rd@.

Nenhum comentário: