18 março 2010

BYE, BYE, SAPOPEMA

BASEADO EM MICOS REAIS

Recordações vão e vêm. Mas quando contêm uma história interessante, merecem, no mínimo, um registro que as resguarde do progressivo esquecimento. Assim foi recentemente. Passei para o papel algumas lembranças de Sapopema. Depois, quis lhes dar acabamento. Enfim, submeti à opinião de amigos. Nenhuma desaprovação, até pelo contrário, senti-me incentivado a compartilhar o conto com os leitores do Blog, especialmente quando vi o comentário do Prof. Luiz Paulo (São Paulo), que assim o definiu:

"História densa e leve, movimentada e divertida. A linguagem flui em ritmo envolvente, com afinada orquestração que concilia jargões da estrada e da pilotagem com abstrações delicadas e incursões poéticas. A arquitetura do texto harmoniza eixos que movem uma dança entre o pretérito e o futuro. No plano analógico, um eixo confronta situações de uma viagem em curso com circunstâncias da vida de ontem e de amanhã. No plano cronológico, um eixo regride, enquanto outro avança no tempo. Essas linhas se cruzam com precisão no ângulo fechado de uma inesperada curva."

Leia o conto e veja um vídeo relacionado.

Nenhum comentário: