16 março 2007

RAPIDINHAS DA SEMANA

.
Depois de uns dias de “recolhimento” (semana passada), o domingo foi pra tirar o atraso. Quem gostou foi ela, porque os lugares preferidos de My Lady estavam no programinha: Park Shopping, Parque da Cidade e Pontão do Lago Sul, com água de coco, pipocas e sessão de fotos.

Na foto abaixo, do meu penúltimo post, exemplares de cães da raça Rodhesian Ridgeback. Pouco conhecida, é verdade. A foto também pode parecer meio fora de contexto se eu não explicar melhor. Então explico: falando com meu pai nesta semana, notei que ele estava empolgado com o que viu numa clínica veterinária há poucos dias. Contou-me sobre a beleza de um cão africano que conheceu, dando detalhes de sua raça, que eu também desconhecia. Procurei saber melhor e achei muito interessante. Trata-se de uma raça de origem africana, mas hoje presente no Brasil. Esses cães têm pelagem invertida ao longo da coluna vertebral e se tornaram famosos pelas habilidades na ajuda a caçadores de leões. Pra quem gosta e deseja saber mais, basta entrar na página sobre os
Rodhesian Ridgeback. Clique aqui.

Aqui mesmo, em Brasília, acaba de ser desvendado um dos casos mais assustadores de namoro iniciado na internet e encerrado no túmulo. Pelo menos duas vítimas (já descobertas) do mesmo conquistador e golpista. Que sirva de alerta a internautas, principalmente mulheres. Aliás, o desequilíbrio entre as populações masculina e feminina no DF -- que, aliado ao poder aquisitivo de altas funcionárias federais, favorece a ação dos D. Juan exploradores --- foi assunto do artigo As novas caçadoras, que escrevi há tempos na Usina de Letras. Bem, que a tragédia sirva também de experiência para o domínio dos novos campos de investigação policial. Esse episódio ocorrido em Brasília foi
a principal manchete de ontem na primeira página do maior jornal do DF. Clique aqui para ler a matéria.

A matéria que escrevi recentemente (sobre o “rapto” do governador) foi publicada também no site do Observatório da Imprensa. E, por algum desencontro de informação, só fiquei sabendo ontem, ou seja, um mês depois, o que foi uma agradável surpresa!
Saiu dia 13 de fevereiro, na seção Feitos & Desfeitas.

Desfeita, finalmente, uma “bolinha” que me perseguia. Fiz a cirurgia nesta semana e foi tudo bem. Nada de mais sério, apenas um minúsculo quisto benigno, que já estava na mira do meu cirurgião há muitos anos...

Muitos anos de experiência ensinam: pra ficar ótimo, o chopp deve sair da serpentina com temperatura entre 0 e +2 graus, para ser bebido entre +4 e +6º. Pedirei 3 cm de colarinho. E você? Lembre-se, hoje é sexta-feira. Bom happy hour a todos!!

.

Nenhum comentário: