13 fevereiro 2007

CINQUENTÕES DA MINHA CIDADE

.
Hoje recebi o DVD com a filmagem do Orkontro (*), um encontro de participantes da comunidade "Cinquentões de Lins", do Orkut (comentei aqui há poucos dias). Confesso que estava curioso, talvez um pouco ansioso para vê-lo, como criança que quer logo abrir a embalagem. Tudo o mais fica pra depois...

Interessante como o vídeo nos transporta para lá, para o ambiente da turma, coloca a gente junto às pessoas e resgata aspectos imperceptíveis nas fotografia dos álbuns e nas palavras dos textos. Eu, que até então vinha vendo muitas dessas pessoas apenas por fotos no Orkut, percebi isso de modo bem nítido. Várias delas só reconheci no vídeo, observando as expressões, a fala, os movimentos, o jeito pessoal de cada um...

Só pelo DVD pude reconhecer por completo algumas dessas pessoas e “revisitar” belos traços da personalidade de outras.

Berna, por exemplo, só identifiquei na filmagem. Então reconheci a loira magrinha e sorridente dos meus tempos de 21 de Abril

Cláudio, que morava a dois quarteirões de mim e cuja família transitava pela minha rua, desde a caçulinha até o pai deles, qdo ia e voltava do trabalho, sem esquecer do Zé Vitor e da Cleide.

Aninha Nutti, também do 21 de Abril e, depois, do Banespa, cujo crescimento interior parece ter sido contínuo ao longo de todo tempo.

Luizinho Vieira, que conheci no “Mundo maravilhoso da música”, em minha tênue passagem pela Lins Rádio Club, idos de 1966

Lu Passarelli, que eu não via há 20, 30 anos ou mais... Era amiga da minha irmã Célia. Hoje, depois de tanto tempo, parece ainda mais bonita e elegante...

Sonia, quanto tempo ! Desde que deixei a Alvorada (1976)

Cilmar, que reencontrei pela última vez lá pelos fins de 1976... (a bela voz continua a mesma, a simpatia parece ainda maior, a generosidade avançou bem mais que a idade...)

Edwirges e Célia, assim como o Cilmar, parecem imunes à ação do tempo. Qual o segredo dessa juventude? Sorriso de Célia = puro charme e beleza.

Moacir Amaral, vixe, depois da Piratininga devo tê-lo visto poucas vezes... Engraçado vê-lo agora com charmosos fios brancos. Mais engraçada ele acharia minha atual grisalhice. Parabéns pela silhueta, Moacir!

Fause, de quem também fui aluno, surpreende pela vitalidade e incansável disposição intelectual.

Enfim, ver essas cenas é uma experiência diferente, sensação incomum. Remete a gente a um efeito dominó ao contrário, do fim para o começo. Ou seja, a gente vai resgatando laços, içando imagens, reconstituindo registros.


Foi nesse clima de reencontro nascido na comunidade que tive o prazer de restabelecer alguns contatos fora do Orkut, como Ariovaldo (S.J.Rio Preto), Odimar (Araraquara) e Sérgio Antunes (S.Paulo).


O fato é que, vendo o DVD, pensei: caramba, será que, no final desta etapa no mundo, as pessoas que têm o privilégio de seguir para um plano superior passarão por uma experiência semelhante? Isto é, terão a oportunidade de rever e abraçar tantas pessoas queridas e com as quais têm maiores afinidades? Pelo sim, pelo não, melhor fazê-lo aqui, né? Ou, pelo menos, rever os “créditos e débitos”, para ter direito a ingresso e, quem sabe, um lugarzinho no camarote. Cruzes!

* Algumas das imagens estão disponíveis no site http://www.benonet.com.br . Na página inicial, clique na foto sobre "Choppão Cristal - Orkontro dos 50ões"
.

Nenhum comentário: