10 novembro 2012

DESTRUIÇÃO E CRIAÇÃO



A relação entre destruição e criação é mesmo mais intrigante e profunda do que o lirismo da nossa vã compreensão prefere admitir. Mas não é só. Essa relação vai além dos ciclos de reprodução do reino vegetal. Está no reino mineral, está nas estrelas, está na ordem que rege o universo.

As teorias modernas já recuaram 15 bilhões de anos para explicar por que hoje o mundo à nossa volta é como é. O momento mais enigmático dessa história talvez esteja há 4,5 bilhões de anos, quando um planeta gigantesco teria colidido com o nosso, provocando destruição total. Tão  instrutivo quanto filosófico é o fato de que a vida na Terra se tornaria possível somente depois dessa colisão. Sem essa e outras grandes explosões, talvez este planeta ainda fosse uma simples massa incandescente. É por isso que, filosoficamente, está correto afirmar que todos nós um dia fomos estrela. Afinal, somos constituídos de poeira das estrelas (porque todos os elementos químicos, exceto os mais leves como  hidrogênio e hélio, vieram das estrelas).

O vídeo acima, produzido pela BBC britânica, mostra tudo isso. São 15 bilhões de anos em 5 minutos, a partir da visão de bilhões de galáxias na inconcebível estrutura do universo. Repare o momento da colisão, quando o vídeo está em 4,5 bilhões de anos. Note que um dos pedaços que voaram longe por causa do impacto pode ser visto até hoje. Chama-se Lua.

Escrito por Ricardo Zani